Home office: Como podemos relacionar inovação com autoconhecimento?
Artigos

No home office, como podemos relacionar inovação com autoconhecimento?

Confira artigo de opinião sobre o papel do Trade Marketing digital para CX

No home office, como podemos relacionar inovação com autoconhecimento?

Artigo de Opinião por Fernanda Formicola, Gestora de Aceleração na Liga Ventures

Estamos vivendo em um momento onde tudo é pra ontem. Tudo é digital, tudo é remoto, tudo é acelerado. No mundo dos negócios tradicionais, não é diferente. No mundo da inovação, também não. E no mundo pessoal? Bom, eu acredito que deveria ser diferente.

Meu nome é Fernanda Formicola, tenho 23 anos e em maio de 2021, tive minha primeira crise de ansiedade. Estamos vivendo uma pandemia há mais de um ano. Por isso não estamos convivendo mais nos coworkings e escritórios, nem vendo pessoas e colegas, nem conversando, nem tomando um café nos corredores.

Assim começamos as adaptações ao mundo digital. A fila do elevador virou o link do google meet. A cadeira da sala de reunião virou um quadradinho na tela. As discussões viraram a competição por quem abre o microfone primeiro. A foto com pose de jogador de futebol virou apenas o print da tela. O horário de almoço virou o momento de atualizar todos os e-mails, regar as plantas e cozinhar. O compartilhamento de ideias virou “tá vendo minha tela?”.

Mesmo com todos os esforços de adaptação ao digital, ainda não encontramos substitutos para as coisas que mais fazem falta, como o toque humano, o abraço e a cerveja depois do trabalho. E eu, sinceramente, espero que esse momento não chegue. 

Home office é um desafio

Muitas vezes falamos a famosa frase de efeito “inovação é sobre pessoas”. Vale lembrar que sim, empresas são feitas por pessoas. Sem as pessoas, não chegamos em resultado algum. É por isso que estou escrevendo sobre autoconhecimento.

Talvez seja uma relação que só eu consigo ver, e foi uma forma de fazer um título que chamasse atenção. Ou, talvez, realmente faça sentido. Basta uma pesquisa rápida no Google para descobrir como o home office está afetando a saúde mental das pessoas: “aumento de problemas físicos e mentais, “mais de 60% estão estressados com o trabalho em casa, “equilíbrio entre qualidade de vida e trabalho piorou. Essas são só algumas manchetes encontradas, tenho a sensação de que o cenário é bem assustador. 

Estou escrevendo tudo isso como uma forma de mobilização. Mobilizar o coração de todas as pessoas para entenderem a importância de nos reconhecermos como seres humanos. Seres que sentem, que pensam, que criam, que sofrem, e que também passam por muitas alegrias. E eu diria que tudo isso pode ser resumido com um ato: o de comunicar. Quando somos capazes de nos comunicar, nos abrimos. Nos disponibilizamos. Nos expomos. E talvez é isso que estou sentindo falta ultimamente. De uma comunicação realmente honesta, com sentimentos, humanizada. 

Acredito que, quando trabalhamos nosso autoconhecimento, vai muito além de saber o que nos faz feliz ou tristes, a melhor hora de acordar ou de ir dormir. Nos permite também acessar nossos pensamentos, nossas palavras e, o mais importante, nossos sentimentos. E quando somos capazes de comunicar o que sentimos, nos conectamos. Nos conectamos com nós mesmos(as) e com todos e todas ao nosso redor. Quando permitimos a comunicação com o coração, abrimos espaço para o novo, para o conhecimento, para a conexão. E eu nunca imaginei que, em um mundo 100% digital, o que eu mais sentiria falta seria a conexão entre as pessoas. 

O que eu quero dizer com tudo isso? Não só que estamos vivendo em um mundo super digitalizado, onde sabemos que tudo muda da noite pro dia. E do dia pra noite. Mas que o meu corpo me pediu pra parar. E eu torço pra que sua consciência seja mais rápida que o meu corpo foi, e não chegue a esse ponto. 

Tenho conversado com muitas pessoas a respeito desse tema ultimamente e, felizmente, observei diversas iniciativas voltadas ao autocuidado e inteligência emocional. Por isso, gostaria de aproveitar esse espaço para ouvir de vocês: o que está sendo feito ao seu redor, ou qual foi a iniciativa que mais te tocou, para deixar esse momento menos pesado? Vamos aproveitar a força da internet para espalhar boas ideias e passar por isso! 

Sobre a Liga

A Liga Ventures é uma plataforma de inovação aberta, que conecta empresas e startups a fim de potencializar interações e gerar novos negócios. Criada em 2015 é pioneira no mercado de aceleração corporativa e corporate venture. Ao longo dos anos, auxiliou na implementação de estratégia de inovação aberta nos principais players de diversos setores do mercado brasileiro, tais como Porto Seguro, Banco do Brasil, e Unilever. Em seu portfólio, soma mais de 250 startups aceleradas e mais de 450 projetos realizados entre essas e grandes corporações. Também conta com o Liga Insights, iniciativa de pesquisa e inteligência de mercado, cujo objetivo é mapear tendências e startups que estão inovando nos mais variados setores. Já são mais de 25 estudos, em temas como de AutoTech, Retail, HR Techs, EdTechs, entre outros. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Mapas de startups atualizados constantemente?

Conheça a Startup Scanner e acompanhe todos os movimentos de startups e soluções para a sua área e setor.