Inovação

O que é, as 5 etapas e como aplicar o Design Thinking

O desenvolvimento de inovações e tecnologia apresentou uma série de metodologias e ferramentas fundamentais para auxiliar nos processos atuais de empresas e projetos. Quando falamos na busca por soluções, o Design Thinking é o termo que mais chama atenção.

Isso acontece porque essa forma de pensar é eficiente para resolver problemas, solucionar desafios e chegar a resultados certeiros em tarefas profissionais ou pessoais. Mas para realmente funcionar, é necessário entender seu conceito e saber como aplicar o Design Thinking.

O que é Design Thinking?

Design Thinking é um tipo de abordagem utilizada para criação de projetos e desenvolvimento de produtos que usa como base o pensamento dos designers. Essa forma de pensar pode ser entendida como o processo de resolução de problemas que leva em conta o ser humano e utiliza princípios de multidisciplinaridade, colaboração e estruturação de ideias e processos.

O sucesso do Design Thinking se deve ao fato da abordagem combinar 3 elementos fundamentais para qualquer projeto:

  1. A sensibilidade presente no universo do design
  2. As ferramentas, estratégias e métodos para atender as pessoas
  3. A tecnologia disponível para solucionar um problema.

Se olharmos para o mundo dos negócios, esses 3 elementos são indispensáveis para que projetos, soluções e empresas sejam criados para realmente atender alguma demanda da sociedade, de uma forma prática e acessível.

Quais são as etapas do Design Thinking?

A estrutura padrão do Design Thinking é dividida em 4 etapas. Essa divisão é importante para a delimitação da atuação de cada pessoa e para a criação de processos eficientes para solucionar cada detalhe de um problema.

1. Imersão

A primeira etapa dessa abordagem é considerada a fase de entendimento e compreensão de todos elementos de um problema. Isso envolve o problema em si, o público, as outras soluções já disponíveis e a sua empresa.

Esse processo de conhecimento é realizado por meio do mergulho no tema, identificando várias perspectivas presentes e situações particulares que fazem parte do universo do problema a ser resolvido.

Para que a etapa de imersão aconteça corretamente, é necessário dividi-la em duas partes:

  1. Imersão preliminar: nesse momento, a equipe se aproxima do problema e esclarece o limite do projeto e o escopo da solução que será desenvolvida. O ponto de partida para essa imersão são pesquisas e levantamento de dados básicos sobre o tema desenvolvido;
  2. Imersão profunda: já a segunda parte da imersão é mais detalhada e também mais objetiva. Nesse momento, é necessário que a equipe explore todas as arestas que envolvem o contexto do problema. A ideia aqui é encontrar todos os pontos de partidas que podem gerar insights para a construção do projeto.

Um dos principais desafios da imersão é entender o problema de uma forma empática, isso é, tentando compreender a percepção do público sobre o tema. Essas informações serão fundamentais para a estruturação da próxima etapa do Design Thinking: a Análise e Síntese.

2. Análise e Síntese

Depois de entender todos os detalhes sobre o problema, o tema em geral, o público e as possibilidades disponíveis, é hora de analisar os dados coletados e elaborar uma síntese para guiar o processo de criação da solução.

Dessa forma, é na etapa de análise e síntese que acontece o planejamento das ações que precisam ser realizadas para que, ao final do projeto, a abordagem de Design Thinking tenha um resultado eficiente.

É fundamental que cada detalhe dessa etapa esteja documentado e apresentado de uma forma visual, para que sirva de base para todo o restante do projeto.

3. Ideação

É considerada a fase do brainstorming. Após o entendimento do problema, da análise das possibilidades e das características e da realização da síntese de tudo que foi coletado, é hora de coletar ideias para desenvolver uma solução realmente eficiente para o público específico.

A etapa de ideação deve servir para que todos envolvidos no projetos possam sugerir propostas de intervenção e apresentar seus insights. Um resultado eficiente, normalmente, é encontrado em projetos que conseguem desenvolver ideias de representantes de várias perspectivas sobre o problema.

4. Prototipagem e teste

Depois de passar pelas 3 primeiras etapas, chega a etapa que as ideias se transformam em soluções reais para o problema apresentado. O resultado desse processo deve ser algo coerente com todos os aprendizados dos passos anteriores e deve apresentar uma oportunidade de negócio para a empresa.

A criação de protótipos funciona como uma forma de testar a aderência da solução junto ao público e o resultado para a empresa.

Atualmente, uma boa estratégia utilizada por muitas empresas é a criação de MVPs (minimum viable product, ou mínimo produto viável, em português). Assim, é possível criar testes com esforços reduzidos e melhorar o produto de acordo com a demanda.

5. Implementação

Após o momento de prototipagem, você terá dados sobre a performance da sua solução e informações sobre os ajustes necessários. Depois de realizar as alterações necessárias, é hora de implementar o que foi planejado e colocar no mercado.

Como aplicar o Design Thinking na empresa?

Como falamos o Design Thinking é a abordagem de pensamento que combina a necessidade de um público com as possibilidades de soluções para atender essa demanda. Dessa forma, esse pensamento deve ser utilizado para guiar boa parte das ações de uma empresa, afinal, elas servem para melhorar a experiência dos clientes.

Mas, há uma grande distância entre o desejo de adotar esse pensamento e a utilização em processos e ações diárias. Por isso, muitos empreendedores ainda não sabem como utilizar o Design Thinking em seu negócio.

Essa abordagem pode ser aplicada a qualquer área que tenha um problema a ser resolvido e a possibilidade de inovar para solucionar. Para aplicar, é necessário contar com um time multidisciplinar focado em se aproximar do público e criar empatia sobre a solução do desafio.

Além disso, um outro ponto essencial para aplicar Design Thinking em sua empresa é a criação de uma cultura organizacional focada na colaboração, cooperação e incentivo à criatividade em todos os processos.

Com esses atributos, é possível aplicar essa abordagem e seguir as etapas que citamos acima. Assim, sua empresa irá obter os mesmos resultados de outras organizações que já utilizam essa estratégia.

Separamos alguns exemplos de empresas que já utilizam o Design Thinking, confira:

Exemplos de Design Thinking

Natura

Um dos cases mais conhecidos sobre o uso do Design Thinking é o da Natura. A empresa de cosméticos utilizou a abordagem para criar uma nova linha de produtos para se relacionar com o público jovem.

A empresa criou um grupo de pesquisa e acompanhamento de um grupo focal segmentado e passou a entender a rotina desse público. Desse jeito, foi possível criar produtos para atender as necessidades e desejos dos jovens.

Netflix

A empresa utiliza vários princípios básicos do Design Thinking para entender a rotina dos seus usuários e criar uma boa experiência. Com essas informações, a Netflix cria soluções e trilhas para cada assinante, tendo sempre como foco os dados e as preferências de cada um.

Gostou do conteúdo e quer começar a entender sobre inovação e implantar essa cultura na sua empresa? Confira nosso conteúdo sobre inovação aberta!

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar