Inovação

Entenda como conseguir investimento de um Investidor Anjo

O processo de captação de investimentos para o crescimento de uma startup pode acontecer de algumas formas bem diferentes. Atualmente, é possível encontrar diversos tipos de funding, desde o realizado por empresas que só querem vender ações no futuro, até o realizado por um empreendedor que quer participar das rotinas, o investidor anjo.

Alavancar o negócio é sempre o desejo de todos empreendedores e, por isso, é preciso recursos. Ainda mais quando falamos de empresas que estão na etapa inicial do projeto, a entrada de um investidor representa a possibilidade de escalar e ganhar mercado.

Dessa forma, neste conteúdo vamos apresentar todos os detalhes que cercam a atuação do investidor anjo, sobretudo no mercado de startups e inovação.

O que é investimento anjo?

Investimento anjo é o tipo de financiamento que é realizado por uma pessoa física que aplica seus próprios recursos financeiros e conhecimentos, no crescimento de uma startup com alto potencial de desenvolvimento.

Em geral, o investidor anjo é um executivo ou alguém com alguma experiência no mercado de inovação e de investimentos.

Esse perfil é uma característica marcante desse tipo de funding. Isso porque, além da aplicação de capital no negócio, o investidor anjo também leva seu conhecimento, network e experiência para a rotina do negócio e para a gestão da startup.

Apesar de ser conhecido com investimento anjo, esse tipo de financiamento não é uma ação de caridade. Os investidores desejam aplicar o capital e o tempo em empresas e projetos que possuem alto potencial de retorno e grande possibilidade de se tornar referência no mercado.

Atualmente, esse processo está presente no mercado de tecnologia e é um dos passos para a inovação aberta nas empresas. Entretanto, esse tipo de financiamento já existe no mercado há muitos anos, grandes empresas, como o Google, foram desenvolvidas por meio desse tipo de processo.

Além disso, o termo começou em um meio um pouco distante do setor de inovação: o teatro. Em meados da década de 20 do século passado, investidores bancavam os custos de produção das peças da Broadway e em troca recebiam uma parte do retorno financeiro e ainda contribuiam com a execução do espetáculo.

Como funciona o investimento anjo?

Assim como outros tipos de financiamentos, o investimento anjo funciona de uma bem parecida: o investidor aplica capital na empresa e recebe uma parte das ações do negócio em troca.

Então, podemos dizer que o funcionamento desse investimento começa na etapa de pesquisa, momento em que startups procuram investidores que tenham perfil para financiar o negócio e o momento em que os investidores procuram empresas que sejam compatíveis com seus conhecimentos e valor que possuem para investir.

É importante que as startups sejam transparentes, pois o investidor anjo vai atuar em conjunto com a gestão da empresa, por isso o match entre as duas partes é fundamental.

Essa etapa é tão importante para o sucesso do financiamento que é indicado sempre o aconselhamento de organizações que já passaram por este momento e, além disso, a pesquisa sobre todos os detalhes do contrato.

Após a etapa de pesquisa, acontece toda parte burocrática. Isso envolve as propostas de aportes, a assinatura de contrato, além de uma análise sobre as projeções da empresa para que seja definido o percentual de retorno do investidor anjo.

Depois disso começa atuação do investidor junto aos responsáveis pela gestão da organização. Como o papel do investidor anjo vai além do simples investimento de capital, acontece o acompanhamento, mentoria em relação aos gestores e o direcionamento para o desenvolvimento da startup.

É necessário falar que o investimento anjo ajuda na concretização da organização perante ao mercado e em seu crescimento como um todo. Assim, depois de um tempo é necessário que outros investidores destinem seus recursos para que a empresa continue a se desenvolver.

Como conseguir um investimento anjo?

Para que a sua startup consiga um investimento anjo é preciso que ela seja interessante e tenha uma expectativa de trazer retornos. Para deixar isso ainda mais claro, separamos alguns pontos que sempre são considerados por investidores ao analisarem empresas.

1. Potencial de crescimento

A primeira coisa que um investidor anjo vai analisar em seu negócio é a escalabilidade que apresenta. Isso quer dizer, o potencial de crescimento que sua empresa apresenta perante ao mercado em que ela está inserida.

Além de analisar como é estruturado cada processo e a dependência de mais investimentos para crescimento, o investidor também considera o problema que a sua empresa se propõe a resolver.

Portanto, se a sua startup possui um objetivo claro e sabe o que é preciso fazer para atender a demanda existente, ela está no caminho certo para encontrar um investidor anjo.

2. Inovação

A inovação é outro ponto importante que deve ser presente na startup para que ela consiga um investimento anjo. As chances de encontrar alguém que está disposto a investir seu capital e conhecimento em uma solução ultrapassada é quase nula.

Dessa forma, quem se propõe a fazer algo diferente, pensar soluções inovadoras e criar produtos novos que realmente atendem demandas da sociedade, recebem certa atenção desses investidores.

3. Mercado aderente

Se o seu negócio está inserido em um mercado que carente de novas soluções e que possui um público amplo para atuação, você conseguirá atrair a atenção de um investidor anjo facilmente.

Basta pensarmos que, empresas que estão em um mercado saturado, tendem a necessitar de mais esforços e recursos para que consigam crescer.

Um bom caminho para definir em que mercado seu negócio está é deixando claro as propostas de valor e a área de atuação.

4. Perfil do empreendedor

Falamos sobre os pontos que dependem da empresa, do mercado e da proposta de atuação, agora é preciso falar o papel do empreendedor para conseguir um investidor anjo.

Investidores experientes entendem que para o sucesso de um negócio é necessário que a pessoa por trás do projeto seja competente e vencedora. Por isso, eles vão analisar como você se comporta e como está gerindo a startup.

Conhecimento de mercado, humildade e dedicação são algumas características analisadas por investidores neste momento. Dessa forma, é indispensável que seja desenvolvido alguns comportamentos para que você, como empreendedor, consiga encantar o investidor anjo.

Além disso, é necessário insistência e persistência. O investidor anjo não vai aparecer na sua frente de uma hora para outra e ainda pode ser que você receba um não da primeira vez. Por isso, quanto mais alinhado com as características que citamos acima, maiores serão suas chances.

Qual papel do Investidor anjo?

Como falamos, o investidor anjo exerce um papel que vai além do simples aporte de uma quantidade capital no negócio.

Mesmo sem receber uma posição executiva na organização, essa pessoa assume o papel de acompanhar os resultados e guiar os responsáveis por direcionar as ações da empresa. Assim, podemos dizer que o investidor anjo assume a responsabilidade pelo processo de mentoria em relação aos sócios e CEO’s de uma startup.

Além disso, esse investidor deve levar todo seu conhecimento de mercado para possibilitar o crescimento do negócio. Isso envolve a utilização da sua rede de contatos para fechar contratos com clientes ou fornecedores ou mesmo a delimitação dos melhores caminhos de atuação junto aos líderes de cada equipe.

Quais são os requisitos para se tornar um investidor anjo?

Para se tornar um investidor anjo é preciso, normalmente, apresentar 3 requisitos básicos. Confira:

1. Experiência no segmento ou como empreendedor

Você percebeu que o investidor anjo ajuda muito mais do que apenas com o capital. Por isso, ele precisa ter uma experiência ou amplo conhecimento sobre o mercado em que a startup está inserida ou mesmo com empreendedorismo de uma forma geral.

Ao se tornar investidor anjo de uma startup você passa a ser responsável por apresentar as melhores soluções e caminhos para o desenvolvimento e crescimento do negócio. Essa experiência é essencial para que o aconselhamento ao gestores seja realmente efetivo e que resulte em ações para melhorar os resultados.

2. Disponibilidade financeira

Esse requisito é inerente ao processo de financiamento. Para que seja possível se tornar um investidor de uma empresa é preciso ter capital para fazer o aporte. Apesar de parecer um conceito básico, é preciso deixar claro, afinal esse tipo de funding envolve aplicação financeira e de conhecimento, não dá para levar apenas um.

No mercado, é possível encontrar investidores anjo que começaram com aporte de R$10 mil e outros que já entraram com valores superiores, chegando a R$1 milhão. Além disso, é muito comum que esse investimento seja realizado em grupos, nesse caso o valor por investidor gira em torno de R$ 20 mil

3. Vontade, tempo e disposição

Como o investidor anjo atua realmente na empresa, é necessário que tenha vontade, algum tempo disponível e muita disposição para compartilhar conhecimentos e experiência, fazer mentoria dos futuros sócios e para acompanhar de perto os resultados do negócio.

4. Entender sobre investimento anjo

Por fim, o último requisito para ser um investidor anjo é entender sobre este processo. Essa é a única forma de evitar a entrada em um financiamento sem saber ao certo como funciona cada detalhe e as responsabilidades de cada um ao longo da parceria.

Aprenda o que é Venture Capital e Private Equity e como captar recursos para o crescimento da sua empresa.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar