Fundraising: entenda o que é e como funciona o processo
Inovação

O que é Fundraising e como estar preparado para as etapas do processo

A busca por investimentos é um dos principais desafios enfrentados por CEOs de startups e idealizadores de projetos que estão no caminho para se tornar uma empresa. O que muita gente não sabe é que é possível contar com metodologias e processos eficientes que facilitam esse desafio. Neste texto falaremos sobre um dos mais conhecidos: o fundraising.

O que é Fundraising

Fundraising é uma metodologia que busca criar processos para que seja possível a captação de fundos/recursos para o desenvolvimento e financiamento de uma startup ou de um projeto.

Analisando a palavra a partir de sua origem etimológica, entendemos que seu conceito é relacionado com as palavras Fund (fundos) e Raise (levantar). Portanto, se a tradução for feita ao pé da letra, fundraising significa levantamento de fundos.

Falamos que fundraising é uma metodologia pelo fato de haver uma variedade de processos e ferramentas que são necessários para que essa captação de fundos seja realizada com sucesso.

Esses processos e ferramentas, que envolvem conhecimentos de áreas como, marketing, comunicação, jurídico e finanças, contribuem para a criação de um sistema sólido e recorrente de arrecadação de recursos para a startup, servindo para atrair mais investidores e doadores e para aplicar os fundos recebidos diretamente no crescimento do negócio.

Momento do Fundraising

Geralmente, o momento em que mais acontece o processo de fundraising em uma startup é o período inicial, quando o projeto está sendo iniciado e há a demanda por investimentos para possibilitar o desenvolvimento dos primeiros MVPs e testes do produto ou serviço.

Além deste momento, também encontramos muitas startups que recorrem ao fundraising para o momento de alavancagem do negócio. Isso é, aquele estágio em que a ideia já foi testada e é necessário recursos para torná-la escalável.

No entanto, como se trata de uma metodologia baseada em processos, mesmo que uma empresa ainda não esteja no momento de captação de fundos, é sempre importante que o CEO esteja aberto para conversas com possíveis investidores e doadores.

Como este processo pode ser demorado, fazer que a preparação para o fundraising seja uma rotina, contribui para que, ao chegar o momento, seja possível receber esses recursos rapidamente.

Para isso, é fundamental que os CEOs separem um tempo da sua semana para o desenvolvimento de práticas que contribuam para este objetivo. A criação de um bom pitch deck e a presença em eventos, como hackathons para apresentação dessa comunicação, são rotinas que ajudam a preparação.

Como falamos sobre o momento certo para o fundraising, é interessante ressaltar os diferentes estágios de investimentos de startups:

Pré Seed

Esse é o estágio inicial de uma startup, aquele momento em que acontecem os primeiros testes e os primeiros produtos mínimos viáveis (MVPs) são lançados. Normalmente, os investimentos para essa etapa giram em torno de R$100.000 a R$400.000.

Para este momento, entre os principais tipos de funding buscados, destacam-se a ação de investidores anjos, projetos de aceleração, crowdfunding e doação de pessoas próximas aos envolvidos na criação do negócio, como família e amigos.

As principais respostas buscadas por investidores nessa etapa são sobre a sustentação do negócio. Por isso, apresentar argumentos que provam que o negócio consegue se manter e que há público com essa demanda são caminhos importantes para o sucesso do fundraising.

Seed

É chamado de Seed o estágio em que uma startup já começa a investir em marketing e vendas para acelerar seu negócio. Essa etapa acontece após os feedbacks dos testes e da execução de melhorias necessárias para que o produto ou serviço esteja maduro e pronto para chegar ao grande público.

Portanto, os recursos buscados nesse estágio são, basicamente, para alavancar a empresa, por meio de uma estrutura escalável já testada. Olhando para os valores que giram em torno da captação de fundos em etapas de Seed, geralmente, ficam em torno de R$400.000 a R$2.000.000.

Os principais investidores e agentes buscados para essa captação são grupos de anjos, fundos Seed e aceleradoras.

Para o sucesso de captação de fundos nesse estágio é necessário um estudo sobre a projeção da empresa. As principais questões apresentadas em rodadas de investimento são sobre a capacidade de faturamento do negócio e sobre o valor que ele pode representar no futuro.

Séries A

Essa etapa é o momento em que a startup já conseguiu certo destaque no mercado e precisa de recursos para uma estruturação ainda maior e para se tornar uma empresa grande no mercado.

Os investimentos nesse estágio giram em torno de R$2.000.000 a R$7.000.000 e os principais autores dessas aplicações são os fundos de Venture Capital e Private Equity.

Para ter sucesso nessa etapa de fundraising é importante apresentar bons argumentos que comprovam que a startup pode crescer e alcançar uma parcela ainda maior do mercado.

Entender sobre esses estágios é fundamental para que seja possível definir o valuation da organização e apresentar as melhores condições para que investidores apliquem dinheiro no negócio.

Como funciona o processo

Por se tratar de um processo que envolve quantias consideráveis, geralmente, o fundraising é complexo e demorado. Dessa forma, quanto maior a preparação e o conhecimento de áreas como marketing, comunicação e encantamento, jurídico e financeiro, melhor é o resultado e menor é o tempo para arrecadar os recursos.

Além disso, a construção da relação com os investidores é um fator determinante. Essas pessoas procuram empresas seguras para aplicar os recursos, por isso, quanto mais segurança e poder de convencimento o CEO possui, melhor será seu desempenho.

Para alcançar esse objetivo, é importante que a startup conte com um plano de crescimento e de arrecadação de fundos já definido. Este plano deve conter os objetivos claros do negócio, uma prospecção de crescimento no curto e longo prazo, e a perspectiva de captação de recursos. Assim, é possível iniciar a conversa com investidores em qualquer estágio.

No Brasil, um processo de fundraising para startups leva de 3 meses até 1 ano para ser concluído. Portanto, gestores e CEOs devem estar preparados, tanto para captar e convencer investidores, quanto para andar corretamente e rapidamente com esse processo dentro de seus negócios.

Falamos muito sobre os tipos de investidores. Os investidores anjo são os principais responsáveis por apostar em startups e contribuir para o crescimento dessas empresas. Entenda nesse conteúdo o que é um investimento anjo e a importância dele para as organizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo